BLOG DA CASALE

Casale promete acelerar a pecuária do nordeste brasileiro

Visando o futuro e bem estar da pecuária no Brasil, nós da Casale em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), acordamos com o projeto de inovação que visa criar do zero um equipamento para mecanizar a colheita da palma forrageira.

O projeto visa solucionar uma lacuna existente há décadas no nordeste brasileiro. A ausência de uma tecnologia para o corte, impossibilita o uso em larga escala da palma forrageira devido a sua resistência a períodos de seca na região. Mas com a chegada da Casale, isso está prestes a mudar.

Segundo a Casale, o novo equipamento proporcionará ao produtor uma colheita mais rápida, com baixo custo e necessidade de manutenção. Estima-se um investimento no valor de R$ 2 milhões até o produto estar disponível para compra.

 

1. O projeto e a parceria que irá renovar a pecuária no Nordeste

 

O CEO da Casale, Mario Casale Neto, frisou a importância da parceria com a USP e a EMBRAPII. Segundo o CEO, “para viabilizar esse projeto, tivemos de estudar a fundo todo o processo que envolve a palma forrageira. Desde o plantio até a colheita atual, formas de armazenagem e entender qual deveria ser o tamanho do equipamento prioritário. A USP foi essencial sendo uma ponte para trabalhar com excelentes pesquisadores, além de entrar com a sua infraestrutura, bem como com a sua metodologia de pesquisa. A EMBRAPII, que tem unidade no Instituto de Física da USP em São Carlos, também foi fundamental, pois seus investimentos contribuíram diretamente para o desenvolvimento da equipe e de todo o processo”.

Segundo Mario Casale, o desafio tecnológico é grande e por isso, a máquina não existiu até hoje, apesar das tentativas de diversos empreendedores. “Estamos desenvolvendo tecnologias que precisarão passar por todo o processo habitual de prototipagem e validação, e por serem exclusivas, nos dificulta estimar com exatidão a data de disponibilidade do equipamento. Entretanto, estamos muito entusiasmados com o projeto, principalmente pelo grande potencial de ajudar a desenvolver uma região tão importante do nosso país” finalizou o CEO.

Na USP, o projeto é liderado pelos pesquisadores Prof. Dr. Marcelo Becker e Profa. Dra. Zilda de Castro Silveira. Fazem parte da equipe os doutorandos em automação e metodologia de projeto, Alberto Lyra e Henrique Takashi, o engenheiro Artur Valadares e o aluno de iniciação científica, Pedro Murari.

O Especialista em robótica, automação e desenvolvimento de projetos mecânicos, o Prof. Dr. Marcelo Becker destaca a iniciativa da Casale na parceria deste projeto, e ressalta que parcerias entre empresas e universidades ainda são raras no país. “No Brasil, infelizmente, esse modelo ainda está engatinhando. Em países como os Estados Unidos, Alemanha e Japão isso já está bem estabelecido. Portanto, é importante que as empresas consigam internalizar o conhecimento, através de equipes de pesquisas e desenvolvimentos, para realizarem cada vez mais projetos inovadores e, consequentemente, agregar valor para as suas companhias”, explica o especialista.

 

2. O desenvolvimento do Nordeste segundo especialistas

 

Buscando soluções inovadores para uma pecuária sustentável, o Gerente de Engenharia de Produto da Casale, Adriano Mendonça explica que o investimento no nordeste brasileiro faz parte da missão da empresa.

“Entendemos as dificuldades em desenvolver a pecuária na zona do semiárido, em que temos grande déficit hídrico, e isso sempre nos incomodou muito. Identificamos que com máquinas especializadas, a palma forrageira pode ser cultivada em larga escala em todo o período do ano, portanto, pode viabilizar o desenvolvimento e forte crescimento da atividade na região de maneira sustentável”, explica Adriano Mendonça.

Alberto Lyra, engenheiro agrícola e professor do Instituto Federal de São Paulo em Catanduva, também está presente no projeto através de sua pesquisa de doutorado. Segundo Alberto, “com o equipamento será possível uma transformação no cenário da pecuária do Nordeste. Ele irá reduzir os custos e promover ganhos, viabilizando a cultura em mais propriedades e em escala superior”.


3. Por que a Palma Forrageira é importante

 

A palma forrageira é rica em energia, onde é utilizada na ração animal ou na substituição total ou parcial de outros ingredientes com maior custo de produção, como o milho. Ideal na restauração de solos degradados e potencial energético para produção de biogás.

O custo para colheita de palma forrageira é extremamente elevado e ineficiente, uma vez que o seu corte e recolhimento são realizados manualmente.

Segundo o Coordenador-Geral de Estudos e Pesquisas, Avaliação, Tecnologia e Inovação (CGEP) da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, Aildo Sabino, a planta conta com características morfológicas que dificultam a colheita e que apenas a mecanização do processo supra essa demanda, além de trazer relevância para o cunho social. “Quando a nova máquina se tornar disponível, as iniciativas das associações, sindicatos e poder público farão com que mesmo os pequenos produtores tenham acesso à colheita mecanizada”, explica Aildo Sabino.

 

Pode contar conosco

 

A Casale é referência em tecnologia para pecuária bovina na América Latina. Abastecemos todo o mercado nacional com misturadores de ração, colhedoras de forragem e distribuidores de esterco, além de exportar para países da América Latina e África. Desde que trouxe o conceito para o Brasil, em 1984, a Casale lidera o mercado nacional de misturadores e seu objetivo é ser uma multinacional brasileira, liderando globalmente este mercado.

Fale conosco!

Compartilhe:

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
1
A Casale agradece seu contato!
Como podemos ajudar?