BLOG DA CASALE

Como a Recria Intensiva e a adubação podem gerar mais lucros

A Recria Intensiva tem se mostrado cada vez mais eficiente. Em conjunto com as novas técnicas de adubação do pasto, o produtor tem mais produtividade e lucratividade.

Com a intensificação dos sistemas de produção de gado, a dinâmica do ciclo da pecuária está mudando de muitas maneiras. Pecuaristas apontam que a tendência é tornar a entressafra, que ocupa o período de seca no ano, em safra, quando a engorda dos animais é acelerada pelo consumo de ração no cocho.

Na produção animal em pasto, seja para carne ou leite, a produção de pastagem é fundamental pois ela é a base do sistema. Por ser barato, o pasto é um dos maiores responsáveis pela alimentação do gado de corte e leiteiro no Brasil. Nosso solo é propício para a produção de gramíneas tropicais devido a disponibilidade de luz, temperatura, água e também pela fertilidade do solo, desde que corrigido. Por isso, para que haja alta produtividade, é necessário que a pastagem seja bem manejada e durável.

Neste artigo você confere mais de perto como a recria intensiva e a adubação podem gerar mais lucros para o seu negócio.

 

1. O que é recria intensiva?

 

Conhecida como RIP – Recria Intensiva a Pasto, esta estratégia nutricional é cada vez mais  utilizada pelas fazendas brasileiras a fim de encurtar o ciclo pecuário, aumentar a lotação por hectare e, por consequência, a lucratividade da produção.

A proposta é simples: é fornecida ração aos animais, desde a desmama até o início da engorda, na proporção de 0,5% a 1% do seu peso vivo. Isto visa a engorda de 650g a 1kg/cab/dia. É uma técnica poderosa, que elimina o gargalo da pecuária brasileira, já que o período de recria a pasto é longo (36 meses) e também é marcado por perdas de peso em épocas de seca. Com a recria intensiva, é possível encurtar esse período para 7 a 9 meses, o que garante uma maior lucratividade e retorno e para o produtor.

 

2. Adubar para intensificar

 

A adubação do pasto tem se tornado um ponto extremamente importante quando o assunto é recria intensiva. Até em regiões pecuárias mais tradicionais, como o sudeste do Mato Grosso e o norte do Pará, esse assunto circula entre os criadores.

Anteriormente, a prática de adubação de pasto era vista como uma despesa desnecessária. Hoje, o produtor mudou seu olhar, aceita essa ideia e vê como um investimento, pois sabe o que tem que ser feito para possui uma área mais produtiva.

A alta produtividade do capim está diretamente relacionada com a adubação nitrogenada, que é a principal responsável pela produção das folhas. Mas, para se ter uma produção em massa, é preciso que os nutrientes estejam em equilíbrio na planta com as porcentagens corretas. Porém, o maior vilão dessa história é a ureia, um dos adubos mais utilizados para repor nitrogênio no solo. Muitas vezes, o seu preço é desanimador para o produtor por ter um alto custo e, em determinados casos, é o único adubo aplicado se levar em consideração os solos já corrigidos previamente.

No entanto, uma solução que surgiu para ajudar nesse aspecto foi a utilização da cama de frango. A sua utilização na alimentação do rebanho foi proibida em 2009 como uma maneira preventiva para evitar no país os riscos potenciais da Encefalopatia Espongiforme Bovina, popularmente conhecida como “mal da vaca louca”. Para desestimular essa prática e dar alternativas de renda para os avicultores, foi recomendado o uso da cama de frango como adubo.

Ela contém vários nutrientes como nitrogênio, fósforo e potássio em quantidades interessantes que podem ser prontamente disponibilizados para as plantas e ajudam na fertilidade do solo, já que a cama de frango possui uma matéria orgânica que o adubo químico não tem.

Hoje, a adubação de cama de frango é uma excelente alternativa, tanto para os produtores de frango quanto para a reposição de nutrientes e aumento da produtividade das pastagens para os pecuaristas. A sua utilização é altamente viável quando comparamos com o preço da ureia, sem interferência na aceitação do solo.

Uma das maneiras de aumentar a produtividade dos animais é oferecer alimento altamente nutritivo  é nessa etapa, no início da cadeia, que o adubo orgânico para pastagens de rebanho entra, potencializando as etapas seguintes.

O uso racional dos recursos, ou seja, sem desperdícios e com aproveitamento máximo das suas características, é também uma das práticas do bom gerenciamento das fazendas lucrativas  quando não há perda de insumos, há economia. O manejo das pastagens é uma atividade extremamente importante na pecuária e requer conhecimento. A produtividade do pasto está fortemente ligada à adubação nitrogenada (o nitrogênio é responsável pela formação de folhas vistosas), mas outros nutrientes são igualmente necessários para que a forrageira se desenvolva de forma adequada.

 

3. Maquinário específico para adubação

 

Para você, produtor, que quer começar a investir em cama de frango na sua fazenda ou está em busca de atualizar seu maquinário para uma melhor distribuição, nós temos uma solução ideal.

A LEC Hydro foi projetada para você que busca mais agilidade na distribuição para aproveitar o período ótimo de aplicação dos fertilizantes. Ela possui acuracidade e homogeneidade na distribuição. Além disso, também é indicada como menor custo operacional por hectare e pode ser utilizada para transportes de forragens.

Fale conosco!

Compartilhe:

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
1
A Casale agradece seu contato!
Como podemos ajudar?